Organização Comunitária

You are currently browsing the archive for the Organização Comunitária category.

Comunitários de Muratuba já se preparam para a tradicional festa de SANTA LUZIA. Será no dia 13 de dezembro de 2013 essa grande festa tão esperada por todos os fiéis e devotos da nossa padroeira.  Aguarde em breve a divulgação da programação dess completa a lina festa.  Já é no próximo dia 13 de dezembro que se realizará na aldeia Muratuba a grande festa da Padroeira SANTA LUZIA. Os comunitários já vivem as expectativas dessa linda festa e como de costume, já estão se mobilizando para organizar mais esse  maravilhoso  evento que é tão esperado por todos, principalmente pelos fiéis devotos da Padroeira dos olhos. A programação completa das festividades de SANTA LUZIA será divulgada em breve. Aguarde!

Segundo o Cardeal Arcebispo Emérito de Salvador Dom Geraldo Majella Agnelo, o Ano da Fé, instituído pelo papa Bento XVI, quer fazer memória dos 50 anos do II Concílio Ecumênico do Vaticano e dos 20 anos do lançamento do Catecismo da Igreja Católica. Propôs Bento XVI enfrentar o relativismo e o individualismo “que levam as pessoas a viver a vida de modo superficial, sem ideais claros”.
Nesse mês de julho no período de 23 a 28, dentro do Ano da Fé,vai acontecer a Jornada Mundial da Juventude Rio 2013. O arcebispo do Rio, Dom Orani João Tempesta, afirmou: “Considero importantes todas as iniciativas que visam promover nossa fé e incidir positivamente na sociedade e que contenham o avanço do mal que se alastra em nossa cultura. A ação mais importante de nossos primeiros irmãos foi a partir da experiência que nasce do encontro pessoal com Cristo, testemunhar com a própria vida que Deus existe.
O católico tocado pela fé é uma das provas e evidências mais fortes da presença de Deus. Quando conheço um cristão coerente, vejo um milagre da criação”. Não devemos ter medo de dialogar com um mundo contemporâneo, disse o arcebispo. Os jovens estão mobilizados e se declaram entusiastas, de coração aberto e dispostos a partilhar a alegria que nasce no encontro com Jesus Cristo. A Igreja e o Brasil, especialmente a nossa Juventude, estão tocados pela graça dessa iniciativa, que teve início em 1985 em Roma, durante o Ano
Internacional da Juventude, e foi antecedida pela festa da esperança, em 1984, durante o Ano Santo da Redenção. Ao anunciar, em Madri, a realização da XVII JMJ no Rio de Janeiro, o papa pediu aos presentes que rezassem a fim de que “desde este instante o Senhor assista com sua força a quantos deverão pô-la em marcha e aplaine o caminho para os jovens de todo o mundo, para que possam reunir-se novamente com o papa nessa bela cidade brasileira”. Jovens brasileiros, vivam esse momento com a alegria e a determinação que lhes são características! A Igreja conta com a generosidade de cada um de vocês!
Repórter: Adrielle Fernandes da Silva

Reconhecendo a arte como a expressão do conhecimento e o desenvolvimento de habilidades do ser humano. Nesta edição, destacamos o talento de um artista que desenvolve diferentes trabalhos de arte entre eles o artesanato de madeira, palha, tala, cipó e de outros recursos naturais, também compõe músicas e poesias. Uma diversidade de talentos que valoriza a nossa cultura.

Como podemos perceber, a arte está dentro de nós, pois somos inteligentes, capazes, criativos e a mãe natureza nos inspira e oferece todo o material que precisamos. Para conhecer melhor esse trabalho, vamos acompanhar a entrevista com o Senhor Enaldo Colares, 45 anos, comunitário de Vista Alegre, tesoureiro do Conselho Escolar da Escola Santa Luzia.

JAV: Que motivação você recebeu para o desenvolvimento dessa diversificação de habilidades?

ENALDO: Nunca recebi incentivo, tanto na parte da orientação de técnicas quanto de comercialização, aprendi a fabricar os artesanatos por vontade própria e curiosidade.

JAV: De que forma esse trabalho influencia na sua vida diária?

ENALDO: De forma prazerosa, faço esses trabalhos para mostrar que é de grande importância a produção desses objetos que os nossos antepassados também usavam no seu cotidiano, como na fabricação de farinha, das embarcações e na realização de festas.

JAV: Diante da indução ao consumismo industrial, você acha que o trabalho artesanal ainda é valorizado? Por quê?

ENALDO: Sim, Porque o produto industrializado mesmo com o consumo elevado, não tem durabilidade é descartável,  frágil e em parte são poluentes. Já a arte feita manualmente, dependendo da matéria-prima utilizada, é mas durável e tem acabamento aperfeiçoado tornando-a valorizada.

Repórter: Adriana Fernandes da Silva

Jornal Arte Vida/ed. Fev

Com a intensificação das chuvas, as nossas comunidades tornam-se alvo de acidentes provocados por animais peçonhentos, principalmente as cobras. Outra preocupação é quanto à eliminação do mosquito da dengue que aparece com maior frequência, nessa época.

Nesse sentido, acompanhe as dicas de cuidados que precisam ser redobrados.

Todo cuidado é pouco, evite acidentes com cobras:

  • Use calça comprida, sapatos ou botas ao entrar na floresta.

  • Evite entrar na floresta à noite, sem lanterna para iluminar o caminho.

  • Se possível use luvas de couro quando capinar os roçados.

Atenção!!! A única maneira de combater a dengue é acabar com o mosquito da dengue nos lugares onde ele se cria. Então, não deixe ele se criar:

  • Limpe todo dia e tampe potes, panelas.

  • Mantenha tampados tanques, caixas d’água, caixas de descarga.

  • Não deixe água parada em baldes, vasos, bacias.

  • Ponha garrafas e vasilhas emborcadas.

  • Fure as latas e jogue no lixo.

  • Livre-se dos pneus velhos ou jogue a água e guarde em lugar coberto.

  • Lave os bebedouros de aves e outros animais com escova ou bucha e troque a água uma vez por semana.

Cuidado! Se a água ficar parada, sua vida também pode parar.

Repórter: Rosivethe Castro Fernandes.

Tags: ,

 

 

 

 

Vida Muratubense é uma produção do grupo de jovens JOBESP (Jovens em Busca da Esperança) da Comunidade Indígena de Muratuba.

O vídeo mostra acontecimentos que marcaram o ano de 2012 em Muratuba, localizada na margem esquerda do Rio Tapajós, município de Santarém!

Reportagem: Walmir Fernandes e Jean dos Anjos.

A vida juvenil exige disponibilidade e muita perseverança. Porém, se a juventude não fortalecer sua organização, a luta se torna mais difícil e os avanços, as soluções dos problemas tão esperados, ficam mais distantes do cotidiano jovem, e para você que acompanha as nossas informações das ações organizativas.

No dia 16 de setembro em assembléia comunitária juntamente com os jovens foi eleita a nova coordenação do Jobesp que tem como :

Coordenador: Valdenir Fernandes .

Vice-coordenador: Walmir Fernandes.

Tesoureira: Adriana Fernandes.

Secretária: Ana Patrícia Oliveira.

E essa coordenação juntamente com os parceiros colaboradores que darão continuidade para a realização das atividades planejadas para esse final de 2012 e ano de 2013. Assim nos organizando venceremos nossa lutas e conquistaremos melhorias para nossa comunidade e o movimento jovem.

Com a grande dificuldade de saúde que enfrentamos em nossa região, está prevista ficar mais complicada, devido a saída do navio Hospital Abaré. Como todos nós sabemos que o Abaré através da Prefeitura Municipal de Santarém, teve a intenção de amenizar o problema de saúde do povo ribeirinho que melhorou muito, embora a sua visita fosse somente de dois em dois meses.

Sem essa assistência de saúde do povo ribeirinho sente-se prejudicado, por isso o jornal Arte Vida, teve entrevistando alguns moradores de Muratuba para falar sobre o assunto.

JAV: Que falta o navio Hospital Abaré irá fazer para você, em relação ao cuidado com a saúde?

“Para mim a saída do navio Abaré é de muita tristeza, pois já estávamos acostumado com as visitas em nossa comunidade. Assim facilitava as orientações sobre saúde para minha e outras famílias que precisavam do atendimento hospitalar”.

Marilene Guedes Fernandes.

“Vai fazer falta para minha saúde e também dos moradores da região, vamos sentir dificuldades com a saída do Abaré, que vem cuidando da saúde da população ribeirinha”.

Paulina Gabriel dos Santos.

“Com a relação a saúde da população vai ser difícil, pois precisamos desse atendimento, a ausência do Abaré irá prejudicar muitas pessoas, devido as condições de chegar até a cidade. A visita bimestral do Abaré, facilitava muito para o povo ribeirinho”.

Rosilene Fernandes da Silva.

Reportér: Solivan Silva

Originalmente do Jornal Arte e Vida / comunidade de Muratuba

Repórter: Rosivethe Castro Fernandes

Durante esse primeiro semestre de 2011, a equipe de orientação sacramental já conseguiu realizar vários encontros com as pessoas que precisam estar devidamente preparadas para a celebrações dos sacramentos que cada um irá receber.

Como a realização dos encontros buscam a participação ativa na vida da comunidade, entrevistamos Emanoel Abraão Rodrigues Silva, 17 anos, jovem que está participando dos referidos encontros e recebendo as orientações do sacramento da crisma.

JAV: O que você acha da realização dos encontros de orientação para os

sacramentos?

EMANOEL: Eu acho muito bom principalmente a participação dos jovens, por que eles estão sendo preparados par participar ativamente da vida da comunidade e buscando novos conhecimentos sobre os sacramentos e a vida cristã.

JAV: Pra você, o que significa “vida comunitária”?

EMANOEL: A vida comunitária é uma coisa muito importante em nossas vidas, a gente se sente bem, feliz, aprendemos a comunicar na comu-

nidade dando sugestões, contribuindo e participando das reuniões, tra-

balhos e movimentos da comunidade, começando a ser grandes líderes de grupo e lutando por melhorias para nossa sociedade.

JAV: Que recado você deixa para todas as pessoas que também estão

se preparando para receber os sacramentos?

EMANOEL: Que elas procurem se introzar cada vez mais na comunidade,

buscando mais conhecimentos para sua vida espiritual, participando na catequese para ser um grande missionário e assim levar a palavra de Deus até as pessoas que precisam.

 

Muratuba, vive na expectativa da implantação de mais um projeto reivindicado junto aos representantes da administração pública municipal, a reconstrução da escadaria.

Para os comunitários, a execução da referida obra é fundamental, pois contribui de forma significativa para a organização e o desenvolvimento da comunidade. Sendo este o porto principal, que garante o acesso com maior segurança ao centro comunitário, evidentemente, essa é mais uma conquista do povo Muratubense que lutou e acreditou na força que tem sua organização.

Read the rest of this entry »

Visando fortalecer cada vez mais a organização e a participação dos associados da delegacia sindical de Muratuba, no último dia 11 de abril, foi eleita a nova coordenação , composta por uma equipe de quatro mulheres, ficando como delelgada sindical, a senhora Marilene Guedes Fernandes; Secretária, Valcilene Oliveira Santos; Suplente, Cleidiane dos Santos Rodrigues e tesoureira, Silvana Silva Fernandes.

A comunidade continua confiante na atuação dessa mulherada que está enfrente do movimento sindical na referida delegacia.

O Jornal Arte Vida, entrevistou a nova coordenadora da Delegacia Sindical de Muratuba Marilene Guedes.

JAV: Esses últimos três mandatos da delegacia Sindical, foi composto somente por mulheres. Pra você, qual  a importância da participação da mulher no movimento social?

MARILENE: Para mim a importância é que hoje as mulheres já conseguem perceber qual é o seu papel e seus valores nos movimentos sociais. Por isso, acredito que somos capazes de  assumir responsabilidades que venham fortalecer a organização da comunidade e de todos os sindicalizados.

JAV: Quais as propostas de  trabalho que essa coordenação pretende desenvolver juntamente com os associados da delegacia Sindical?

MARILENE: A proposta é trazer mais sócios para a delegacia sindical, principalmente que já tem idade e ainda não são enganjados no sindicato. O outro  plano é pedir ajuda para os associados  visando movimentar a caixinha sindical que fica na comunidade, essa ajuda poderá ser através da doação de prẽmios para bingos que serão realizados nas reuniões e também buscar cada vez mais a participação na organização sindical.

Essa reportagem, foi retirada diretamente do Jornal Comunitário Arte Vida de Muratuba

Repórter: Rosivethe Castro Fernandes

« Older entries